segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

A verdadeira história recente do ateísmo

É fato notório que o evolucionismo, com sua doutrina da seleção natural, motivou discriminações etnico/raciais e discriminações sócio/culturais, que ocasionou múltiplos genocídios no percurso da história humana durante o século XX.

Ainda que seja uma interpretação corrompida da teoria, o fato indubitável é que regimes totalitaristas nazistas e fascistas empregaram uma interpretação peculiar da teoria para realizar os atos mais atrozes e hediondos da história recente.
Afinal, apenas os mais aptos sobrevivem, então devemos eliminar os menos aptos e fabricar uma "espécie pura" e nobre, isenta das vulnerabilidades inerentes às raças inferiores. Mas a eugenia surgiu na filosofia grega clássica, não do darwinismo. Sim, a própria teoria da evolução das espécies antecedeu Darwin. Então é mais adequado correlacionar a eugenia com uma interpretação rudimentar da seleção natural. Ou seja, a teoria evolucionista ainda é o cerne fundamental que motivou a prática de genocídios em regimes totalitaristas nazistas. Ah mas o evolucionismo nunca foi essencialmente ateísta. Na verdade o evolucionismo é historicamente ateísta. Empedócles, filósofo grego do século V antes de Cristo, por exemplo, dissertou assim: "Onde quer que todas as partes apareçam tal como seriam se tivessem sido feitas para um determinado fim, tais coisas sobreviveram, sendo organizadas espontaneamente num modo adequado; enquanto outros que cresceram de outra maneira pereceram e continuam a perecer..." Ou seja, tudo surgiu sem qualquer finalidade ou propósito, apenas se organizando de forma espontânea. Essa é a idéia clássica do evolucionismo desde seus primórdios: Erradicar a necessidade de um projetista inteligente. Por consequência todos os crimes perpretados em nome de princípios evolucionistas estão estritamente vinculados com o ateísmo. Isso inclui a morte de dezenas de milhões em campos de concentração durante a Segunda Grande Guerra. O que dizer do comunismo marxista? Seu materialismo dialético inclui a idéia da evolução das espécies, que foi amplamente difundida no curriculo escolar dos infantes e era a visão oficial da antiga URSS. Citando Beate Wilder-Smith: "...uma fundação central da doutrina marxista hoje em dia. Os nazistas estão convencidos, assim como comunistas hoje, que a evolução tomou lugar, que toda biologia tem envolvido saltos espontâneos, e que nos links intermediários (ou os tipos menos evoluídos) devem ser erradicados ativamente. Eles acreditam que a seleção natural pode e deve ser ativamente reforçada, e além disso instituídas medidas políticas para erradicar os incapacitados, os judeus, e os negros, que eles consideram como não desenvolvidos".  Em resumo, o ateísmo foi a estrutura ideológica fundamental do evolucionismo histórico, cujas idéias foram historicamente propagadas e interpretadas com a finalidade de dizimar povos inteiros "involuídos" e perpetuar o controle estatal. Quem é o culpado por mais de 100 milhões de mortos no século XX? A própria corporificação política do ateísmo, nomeadamente o nazismo/fascismo e o comunismo marxista. Claro que o ateísmo em si não é responsável, mas o ateísmo politizado é efetivamente o responsável pelo drama humano cujas feridas ainda não cicatrizaram. Ou seja, ateísmo no poder = estupros, torturas e homicídios em massa.

http://filosofiaeapologtica.blogspot.com.br/2013/02/a-verdadeira-historia-recente-do-ateismo.html